Quem pensa mais reclama menos


Vivemos o mundo do automático, da intolerância, da reclamação, do faz de conta, da projeção, da inconsequência e de tantas outras coisas. O interessante é que as pessoas não param e não pensam sobre o que estão fazendo e falando. Posicionam-se de forma dissociada, ou seja, o discurso não condiz com o comportamento e muitas vezes, os argumentos apontados não tem sustentabilidade, são feitos no achismo. Isto independe do nível social, cultural e econômico.

Nos últimos dias ao falar com as pessoas, tenho muitas vezes a sensação de que estou falando sempre com a mesma pessoa, porque o assunto começa com uma reclamação: “que calor, está insuportável, só no ar-condicionado para aguentar” e eu respondo sempre a mesma coisa, com “cara de paisagem”:

- Pois é, estamos no verão.

Bem, aí piora tudo, porque o assunto aumenta, dizem que antigamente não era assim. Claro que antigamente não era assim, porque o homem não havia agredido a natureza, não tinha desmatado. As pessoas não se dão conta que o clima mudou, graças às agressões que, nós humanos, cometemos contra a mãe natureza e agora nos colocamos como vítimas destas mudanças. Não assumimos que estamos pagando o preço do progresso, da evolução ou quiçá involução.

Percebo que hoje ninguém suporta mais nada e, não bastando isto, reclamam de tudo. Têm pessoas que tudo é um problema, sempre encontram algo errado, só conseguem enxergar o lado negativo das coisas e percebem isto como algo normal. O nível de intolerância está alto, ninguém mais se permite ficar triste ou chateado, logo se diagnosticam como depressivos e correm para o médico para que lhe prescreva um remedinho mágico elhe tire este desconforto. Na realidade, deveria pensar o que a levou ter estes sentimentos.

Até pouco anos, as pessoas viviam muito bem sem ar-condicionado, mas agora passou a ser algo impossível, porque ninguém se permite mais sentir calor, suar, isto gera desconforto, passando a ser motivo de muitas reclamações, irritações e suspiros. Não Sou contra o uso de ar-condicionado, mas fico questionando se a reclamação gira em torno do calor ou se este é apenas o motivo para poder reclamar. O que está por trás desta reclamação?

Ao invés de reclamar, precisamos parar e pensar porque reclamar tanto da vida se tornou algo normal. No verão reclamam do calor, no outono reclamam porque a estação não se define, ora faz frio, ora faz calor; no inverno a reclamação se dá pelo frio e chuva e na primavera por causa do vento. Quando será que o tempo vai ficar bom? Será que o problema é o tempo ou existe algum outro fator que está incomodando e as pessoas não conseguem nomear?

O reclamar pode se dar por uma questão de costume, de falta de assunto ou de conhecimento, por descontentamentos que a pessoa carrega consigo e não consegue identificar, por situações que se colocou e não encontra meios para sair e por vários outros motivos. Enquanto as pessoas continuarem jogando palavras ao vento, não pensando e reclamando, sem avaliar o real motivo da sua reclamação, não adiantará nada. Pare e pense do que realmente está reclamando, como está o seu humor, como está a sua vida afetiva, sua vida econômica/financeira, as suas relações interpessoais, o que tem feito de bom para si, talvez aí encontre o verdadeiro motivo de reclamar tanto e consiga reverter a situação.


20 visualizações

CLIQUE E FALE

+55 51 999-877-258

REDES SOCIAIS

Código de Ética Profissional do(a) Psicólogo(a)

CONSULTÓRIO

Rua Rita Lobato, 191 sala 306

Praia de Belas - Porto Alegre/RS

Conselho Regional de Psicologia do RS