Endividamento financeiro está além dos números


Ao falar em endividamento financeiro logo se pensa em números, falta de educação financeira, falta de planejamento, em dificuldade de planilhar as contas como se isso fosse o principal motivo do endividamento. Na realidade, o que as pessoas não sabem que o endividamento financeiro não é causa, mas sim consequência do endividamento afetivo.

Em geral a pessoa endividada não avalia o que a leva ao endividamento e quantas vezes já se encontrou nessa situação. Isso porque nunca pararam para analisar a sua maneira de funcionar, para verificarem se estão repetindo uma situação já vivenciadas por elas, por não prestarem atenção nos seus pensamentos e sentimentos, por viverem de forma mais automática.

Desconhecem que questões afetivas e financeiras caminham juntas. A pessoa que não conseguiu conquistar a libertação afetiva, dificilmente conseguirá conquistar a liberdade financeira. Por não se conhecerem ou por terem uma percepção distorcida de si, precisam adquirir um pseudo- status, para se sentirem pertencendo a um grupo ou até mesmo para causar impacto nas pessoas com quem convive. Geralmente, são pessoas com baixa autoestima, não acreditam no seu potencial, carregam consigo sentimento de menos valia, insegurança e valorizam a aparência. Percebem-se merecedores de tudo, mas não criam meios para isso.

As distorções de percepção que as pessoas tem de si estão vinculadas as crenças de cada um e que serão identificadas a partir do momento que se tornarem conscientes. Enquanto a pessoa não parar para entender os reais motivos que a levam ao endividamento e a serviço de que estão, continuarão repetindo um padrão de funcionamento que não permitirá sair do endividamento.


7 visualizações

CLIQUE E FALE

+55 51 999-877-258

REDES SOCIAIS

Código de Ética Profissional do(a) Psicólogo(a)

CONSULTÓRIO

Rua Rita Lobato, 191 sala 306

Praia de Belas - Porto Alegre/RS

Conselho Regional de Psicologia do RS