Mulheres deprimem mais que os homens


A cada dia aumenta o número de casos de depressão, principalmente nesse período de pandemia. O maior número de pessoas acometidas pela depressão são mulheres, pois segundo estudos realizado pela Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, as mulheres tem duas vezes mais chance de vir a desenvolver a depressão.


Neste estudo, os pesquisadores oferecerem a um grupo de mulheres e homens saudáveis, doses pequenas de endotoxinas, esta substância tem a função de estimular uma inflamação cerebral controlada. Após duas horas, todos os participantes foram convidados a realizar uma atividade, a fim de verificar o sistema de recompensa do cérebro, um conjunto de estruturas que dá a sensação de prazer, sendo que na depressão esta sensação não ocorre.

A partir destas informações, os pesquisadores verificaram que as mulheres que tinham recebido endotoxinas, tiveram o sistema de recompensa diminuído, o mesmo não aconteceu com os homens que haviam recebido a mesma substância. Esse resultado, preconiza que mulheres que apresentam distúrbios crônicos inflamatórios tem maior chance de vir a desenvolver um quadro de depressão, por decrescer a sensibilidade da recompensa.


Um estudo realizado aqui no Brasil, na Universidade Federal do Rio de Janeiro, pelo psiquiatra Nardi, mostra que pode haver a presença do DNA nos processos inflamatórios, desencadeando certos transtornos mentais. Em seus estudos, o pesquisador mostrou que a carga genética pode dificultar um bom funcionamento cerebral frente a situações de estresse, contribuindo para a reação inflamatória e acentuando o quadro depressivo.


Para o pesquisador Nardi, as mulheres são mais suscetíveis, podendo surgir da interação dos fatores genéticos com o estresse. Também tem a questão hormonal. A mulher, antes da menopausa, tem duas vezes mais chance de desenvolver a depressão.


A partir da primeira crise, a depressão parece seguir seu curso próprio. Estudos mostram que depois do primeiro episódio de depressão a pessoa passa a ter 50% de chance de vir a desenvolver um segundo episódio. Após o segundo episódio a chance de ter um terceiro episódio aumenta para 70% e a partir do terceiro episódio de depressão a pessoa passa a ter 90% de chance de ter outros episódios.

Os estudos mostram que não é possível afirmar que a causa da depressão se dá apenas por questões sociais e psicológicas. A depressão é uma doença multifatorial e como toda doença multifatorial precisa o olhar de profissionais de várias áreas.

9 visualizações0 comentário