O gap de empatia pode estar faltando na covid-19

Atualizado: Abr 13


Gap de empatia, o que é isso? Muita gente nunca ouviu falar em gap de empatia, então primeiramente vamos entender o que significa a palavra gap. Usamos a palavra gap quando nos referimos a distância, vão. Para facilitar o entendimento, vou me permitir sair de uma explicação técnica e usar exemplo, porque acredito que facilitará o entendimento e provavelmente, você assimilará com mais facilidade.


Algumas pessoas tem o hábito de procrastinar, ou seja, deixam para fazer as coisas depois porque não estão com vontade naquele momento. Acreditam que terão mais disposição, obterão melhores resultados, depois. Só que quando chega a hora de fazer, percebem que continuam sem disposição, mas aí não dá mais para postergar.


Muitos são os exemplos que podemos usar, vou dormir um pouco mais e não vou a academia, amanhã estarei mais disposta. Quem já passou por qualquer uma dessas situações, sabe que isso é uma mentira que contamos para nós mesmos. E por que fazemos isso? A resposta é o gap de empatia, porque o nosso cérebro tem uma ótima capacidade de fazer com que nos imaginemos realizando ações no futuro, mas é falho em antecipar como nos sentiremos.


A empatia é compreendida como a capacidade de nos colocar no lugar do outro, mas como fazer isso se temos limitações de nos colocar no lugar do nosso próprio eu futuro?


O gap de empatia é compreendido como um viés da empatia, só que este viés é uma falha lógica humana, com origem nos processos neurológicos, que elucida erroneamente os dados, as informações e a realidade que encontram-se ao nosso redor. Isso acontece, porque os vieses, estão firmados em paralogismo, ou seja, em mentiras que parecem verdades. Porém, só percebemos que é “papo furado” quando o futuro chega.


O gap de empatia se faz mais presente quando vemos o choque que existe entre a nossa necessidade atual e o nosso planejamento a longo prazo. Isso porque o nosso cérebro dá um peso maior para as exigências e vontades de hoje do que às do futuro.


A partir do gap de empatia é possível entender a falta de empatia de algumas pessoas em relação a covid-19. Como pessoas próximas não foram contaminadas, ainda não conseguem mensurar a gravidade da doença, mesmo os veículos de comunicação noticiando a todo momento. Nestes casos, diz-se que a pessoa está no estado frio de emoções, diferente daquela pessoa que perdeu algum familiar e/ou amigos para covid-19. Esta pessoa estará no estado quente das emoções e conseguirá se colocar no lugar de qualquer pessoa, mesmo desconhecida.


E aqui vou me valer de uma frase de Henry Ford: “se existe um segredo de sucesso, ele consiste na habilidade de entender o ponto de vista de outras pessoas e ver as coisas também pelo o ângulo delas como pelo seu”. Portanto, não cabe a nós julgarmos se é certo ou errado, visto que este não é o centro da questão e sim ter o entendimento do próximo, pois isto se chama GAP DE EMPATIA. Claro que isso não é fácil neste momento em que vivemos. Porém, como querer entender o outro, se inúmeras vezes não conseguimos nos entender?


O gap de empatia é a propensão que temos de subestimar a influência do nosso estado emocional nas nossas próprias decisões e comportamento, por ser algo que funciona de forma inconsciente. Em contrapartida, supervalorizamos a razão no nosso processo decisório.


Temos que ter claro que qualquer um de nós poderá reagir da pior maneira possível frente a qualquer situação. Daí a importância de termos disciplina e procurarmos nos comprometermos com um curso de ação.


Podemos treinar o gap de empatia em coisas do nosso dia a dia, cuidando mais da nossa saúde, fazendo atividade física, comendo melhor e tendo boas horas de sono. Lembremos que precisamos ser empáticos conosco primeiro, para depois sermos com os outros.


Outro ponto importante a ser observado é analisarmos os nossos diferentes estados de humor e observar como agimos em cada um deles. Quando estamos no calor da emoção, como reajo (estado quente)? E quando estou agindo apenas pela razão (estado frio), qual a minha reação?


Na medida que você for trabalhando o seu gap de empatia, perceberá que ao invés de ficar focando apenas nos aspectos negativos da situação, você irá buscar os pontos positivos e aproveitar melhor o momento. Sem falar que conseguirá agir e reagir melhor com os outros.

20 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo