O psicopata mora ao lado

 

Quando se pensa ou fala em psicopatia, tem-se a sensação de que estamos pensando ou falando de algo que está muito distante da gente, entretanto, muitas vezes, eles estão muito próximos. Pode ser um familiar, amigo, político, colega, vizinho e não percebemos, visto que são pessoas simpáticas, agradáveis, sedutoras.

 

Trata-se de um Transtorno de Personalidade grave e mesmo com todo o avanço que a medicina vem apresentando, infelizmente, ainda não foi encontrado algum tratamento que possa curá-lo. Alguns tratamentos propõem uma autovigilância rígida, a fim de diminuir os danos causados pelo comportamento psicopata, para tanto, o profissional terá a árdua tarefa de fazer com que o psicopata assuma e reconheça que o transtorno lhe causa prejuízos, bem como, a quem está em seu entorno.

 

Importante sublinhar que psicopatia não é a mesma coisa que psicose. A psicose é um transtorno em que o sujeito apresenta delírios e até alucinações, não conseguindo diferenciar a realidade da fantasia. O indivíduo sente cheiro, ouve vozes, imagina coisas irreais que podem leva-lo a reagir fortemente, a fim de defender-se. Apresenta um comportamento apartado e não socializa.

Vê-se que a ciência tem um vasto entendimento em relação a psicose, agora, quando o assunto é psicopatia, ela continua tateando, visto que trata-se de um transtorno em que a maioria dos pacientes não correspondem ao tratamento. Estudos realizados, como por exemplo, o de  Adrian Berry e colaboradores, foi estudado 48 casos de psicopatia e constataram que 44% dos pacientes não responderam ao tratamento, no final de um ano.

 

Psicopata significa “mente doente”, a pessoa apresenta um comportamento adoecido. Ele não apresenta perturbações mentais, alucinações ou sintomas de doença mental. Ele não apresenta sofrimento mental, mostra-se frio, não tem empatia, não sente culpa, não sente remorso, não se preocupam e nem se abalam com o sofrimento alheio, são insensíveis a punição que sofra. As causas desta patologia ainda são desconhecidas, mas sabe-se que o psicopata traz na sua história pregressa, na maioria das vezes, casos de violência, abuso sexual, ausência do olhar materno, foram vítimas de negligência e maus tratos. Estudos na área da neurociência, mostram que existem alterações no cérebro do psicopata em relação ao das pessoas ditas “normais”, bem como a redução da função serotonérgica, que está relacionada as questões do humor.

 

Estas pessoas estão inseridas no nosso meio, no nosso dia-a-dia. Algumas empresas sentem-se seduzidas por estes profissionais, visto que não medem esforços para obterem resultados. Este perfil de profissional é muito valorizado no mundo capitalista. Na ânsia de alimentar o ego, fazem de tudo para conquistarem um cargo de chefia. 

 

Importante sublinhar que faz-se necessário levar em conta um conjunto de sintomas, para se fazer o diagnóstico de um psicopata. Isto é válido, também para qualquer outra patologia. Portanto, não dá para sair por aí dizendo que o fulano ou beltrano é psicopata, somente o profissional da saúde mental tem condições de fechar este diagnóstico e com todo o conhecimento que este profissional tem, muitas vezes, não é fácil fazer o diagnóstico, pois eles mascaram o quadro com suas manipulações, mentiras, etc.

Please reload

Posts Recentes

06/11/2019

18/10/2019

Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • YouTube Social  Icon
  • SoundCloud Social Icon
  • LinkedIn Social Icon